DOENÇAS E TRATAMENTOS

Doenças Inflamatórias Intestinais

As principais doenças inflamatórias do intestino são a “Doença de Crohn” e a “Retocolite”, que podem ser suspeitadas se o paciente apresentar sintomas como diarreia (às vezes acompanhada de sangue), períodos de constipação, dor e desconforto abdominal, além de várias complicações fora da região gastrointestinal, como:

  • Alterações da visão
  • Problemas na vesícula e fígado
  • Aftas e fístula perianal
  • Litíase renal
  • Artrite
  • Doenças pulmonares (bronquite, asma)
  • Trombose venosa

Para se obter o diagnóstico, além de histórico do paciente e exame físico, é necessário sigmoidoscopia/ileoscopia com biópsia para confirmação e até exames de sangue.

É necessário excluir intolerâncias ou alergias a alimentos, além de infecção como causa da inflamação (colite). existem momentos em que a inflamação não se mostra como característica e os exames podem mostrar algo “inespecífico”. Desse modo, o acompanhamento com um profissional cirurgião fará com que a observação e a reação aos medicamentos e alimentos mostre o diagnóstico mais provável até que exames novos detectem a doença no momento necessário. Em nenhum momento o paciente fica sem assistência ou tratamento, por mais que o diagnóstico seja difícil e muitas vezes requeira paciência.

Diante das complicações dessas doenças inflamatórias o tratamento clínico é iniciado imediatamente, junto de dieta e mudança de hábitos de vida. Pode ser necessária a ressecção de parto do intestino, para melhora do quadro controle dos sintomas e prevenção do câncer colorretal. A cirurgia que pode ser realizada por videolaparoscopia ou convencional (aberta) dependendo do paciente e da característica da doença.

A qualidade de vida e rendimento no trabalho, no dia a dia pode ser prejudicado pela insônia e apneia do sono que acaba sendo um ciclo vicioso junto do refluxo gastroesofágico. O paciente não tem um sono reparador, acorda cansado, e sente-se fraco por não ter um descanso de qualidade.

Pessoas em uso de terapia de reposição hormonal ou mesmo durante a gestação, quando há aumento na produção de hormônios, podem sentir sintomas de refluxo gastroesofágico. Isso acontece porque alguns hormônios femininos, quando aumentados, podem promover o relaxamento da válvula entre estômago e esôfago, permitindo o retorno do conteúdo ácido para o esôfago. Através de uma avaliação da gravidade dos sintomas, é possível identificar a melhor opção de tratamento sem que seja necessário parar com a medicação, lidando melhor com o tratamento necessário ou com a gestação esperada.

Open chat