DOENÇAS E TRATAMENTOS

Tumor de Estômago

O tumor gástrico (câncer de estômago) é um dos mais comuns em todo o mundo. Embora tenha diversas causas, está fortemente associado ao sedentarismo e a má alimentação, especialmente rica em alimentos industrializados, em sal (sódio) e pobre em vegetais.

Em geral, quando o tumor é pequeno (inicial) ele é silencioso. Caso haja algum sintoma, pode se confundir com outras doenças. Em casos mais avançados, a depender da localização do tumor, como na parte do esôfago que liga o estômago, ou na região em que o estômago se liga ao intestino (o duodeno), podem ser notados sintomas de obstrução: náusea, vômitos, sensação de plenitude (“estar cheio”). Anemia, perda de apetite e de peso também podem ser observadas e em outros casos, até vômitos ou fezes com sangue.

Como os sintomas do câncer de estômago muitas vezes não são percebidos até que a doença se encontre em estágio avançado, apenas 20% dos cânceres de estômago são diagnosticados em estágio inicial. Portanto, uma avaliação com seu médico cirurgião, diante de algum dos sintomas, pode dar um diagnóstico precoce e permitir um bom prognóstico.

Pode ser necessário tratamento com quimioterapia, cirurgia ou quimioterapia associada a cirurgia. A cirurgia pode ser convencional (aberta) ou por videolaparoscopia, dependendo do estadiamento do tumor e condição do paciente.

 

Tumor de Intestino e Cólon

O câncer colorretal é o terceiro mais frequente entre os homens, abaixo apenas do câncer de próstata e de pulmão. É o segundo mais incidente nas mulheres, perdendo apenas para o câncer de mama.

Esse tipo de câncer atinge homens e mulheres de forma semelhante, com incidência discretamente maior na população masculina. É predominante em adultos principalmente a partir da quinta década de vida e considerado raro em crianças.

O câncer colorretal geralmente causa sintomas, apenas em estágios mais avançados. As principais alterações que devem chamar a atenção do paciente são:

  • Presença de sangue nas evacuações, seja sangue vivo ou escuro, misturado às fezes, com ou sem muco.
  • Sintomas irritativos, como alteração do hábito intestinal que cause diarreia crônica e necessidade urgente de evacuar, com pouco volume fecal.
  • Sintomas obstrutivos, como afilamento das fezes, sensação de esvaziamento incompleto, constipação persistente de início recente, cólicas abdominais frequentes associadas a inchaço abdominal.
  • Sintomas inespecíficos, como fadiga, perda de peso e anemia crônica.

Grandes estudos populacionais relacionam dietas ricas em bebida alcoólica, carne vermelha e embutidos com uma maior incidência de câncer colorretal. Também foi demonstrado aumento do risco de câncer colorretal em indivíduos obesos ou acima do peso, sendo essa associação maior no sexo masculino.

Quando diagnosticado em fase inicial, é possível investigar e avaliar o estágio em que o tumor de encontra, permitindo programar uma cirurgia mais adequada.

Essa cirurgia pode ser por via convencional (aberta) ou por videolaparoscopia, dependendo do comprometimento do tumor e condição do paciente.
Se diagnosticado de forma tardia e o tumor estiver avançado, a cirurgia de urgência pode ser a única opção. Nesse caso, a videolaparoscopia tem seu uso mais restrito. Em ambos os casos a associação com quimioterapia antes e/ou após a cirurgia vai depender de quão avançado está o tumor e como foi a cirurgia.

Open chat